02 maio 2009

Perguntas e respostas sobre parto


Na madrugada de hoje começei a perder um pouco de liquido, mas bem pouco mesmo , não chega nem a escorrer pelas pernas e também não estava sentindo dor nenhuma, liguei para o médico e ele pediu que eu fosse ao hospital pra dar uma olhadinha, ele examinou e disse que está perto mas que não seria hoje, então voltei e estou aqui só esperando a vontade do meu filhote, fazer o que, né?!

Segue algumas perguntas e respostas sobre parto,vou por umas aqui e dar o link pra quem quiser ver por completo. Beijos a todos!!!

Te amo filhote!!!


O trabalho de parto


1. Quais os sinais do trabalho de parto?


São muitos e variam de mulher para mulher. Podem começar com dores na região lombar que se irradiam para o abdômen, deixando a barriga dura mais ou menos a cada meia hora – são as famosas contrações. Calma! O simples surgimento delas não significa que chegou a grande hora. É preciso que a mulher sinta duas contrações de 40 segundos a um minuto e meio no período de dez minutos para se ter a certeza de que o parto está mesmo para acontecer. Em outras mulheres, porém, o trabalho de parto se anuncia com um discreto sangramento genital ou ainda com a rotura da bolsa, derramando todo o líquido em seu interior. Outro sinal importante é a dilatação do colo uterino acima de 2 centímetros, mas isso só o médico pode observar.


2. O que fazer se a bolsa rompe?


Avise seu médico. Não é preciso sair voando nem se desesperar se o líquido for claro. O bebê não vai escorregar! Mas, se o fluido estiver escuro, corra para o hospital. A coloração escurecida indica a presença de mecônio, como os médicos chamam as primeiras fezes do bebê – e, se ele defecou na barriga, é sinal de que está sofrendo.


3. Como identificar se a bolsa está fissurada?


A rotura da bolsa normalmente leva à perda de uma grande quantidade de líquido. Quando acontece apenas uma fissura, sai um pouquinho de fluido, que parece um corrimento. Aliás, fissuras assim são relativamente raras e não trazem grandes problemas nem para mãe nem para o bebê.


4. Quais as características do líquido?


Ele é claro e tem um cheiro que lembra o de água sanitária. Se estiver escuro, pode sinalizar a presença de mecônio, as fezes do bebê.


5. Quanto tempo dura o trabalho de parto?


Há um limite razoável? Nas grávidas de primeira viagem, ele costuma durar entre oito e 12 horas. Em geral, após 12 horas de trabalho de parto, é preciso avaliar cuidadosamente as condições da mãe e do bebê para verificar se é possível continuar esperando. “Não há limite, mas existe prudência”, frisa a ginecologista Lúcia Hime. É necessário que, durante todo o tempo, mãe e filho estejam bem. De qualquer modo, essa duração tende a

diminuir nos partos seguintes. No segundo filho, por exemplo, costuma variar de quatro a seis horas, e no terceiro, de duas a três.


6. Como diferenciar uma contração verdadeira de uma falsa?


As contrações que sinalizam o início do trabalho de parto se repetem com frequência geralmente sincrônica, regular – por exemplo a cada 30 minutos, a cada dez, a cada cinco.... Além disso, na medida em que o tempo passa, o intervalo entre elas sempre diminui e elas vão se tornando mais intensas e doloridas. As dores começam no fundo do útero e se espalham sempre para baixo, no sentido barriga, região lombar e pelve. Já as falsas contrações podem ser doloridas, mas não têm regularidade nos intervalos. Não ficam necessariamente mais fortes na medida em que o tempo passa e sua dor se espalha em qualquer direção, em vez de seguir a rota da barriga para a região lombar e da região lombar para a pelve.


7. Exercícios, como a caminhada, favorecem a dilatação?


Eles não ajudam a abertura do colo, mas favorecem a descida do bebê. Por isso, muitas vezes a grávida é estimulada a caminhar durante o próprio trabalho de parto.


8. O que fazer na hora das contrações para aliviar a dor?


Massagens, principalmente na região lombar, banhos de água morna e permanecer sentada sobre aquelas bolas grandes de fisioterapia. Tudo isso gera relaxamento e diminui o tormento.


9. Há como se preparar durante a gravidez para facilitar o trabalho de parto?


Os exercícios físicos, bem como os respiratórios, ajudam a mulher a chegar ao momento do nascimento com um condicionamento mais adequado. O pilates, por exemplo, fortalece a musculatura abdominal e isso ajuda. Na hora agá, um abdômen mais forte facilita ajuda a empurrar o bebê pelo canal vaginal.


10. Por que dizem que a mulher deve parar de comer e beber ao entrar em trabalho de parto?


Isso não é obrigatório. O problema é que as contrações às vezes causam náuseas e, se o estômago estiver cheio, podem desencadear vômitos. Além disso, dependendo da anestesia que será administrada, também podem ocorrer sintomas desagradáveis se a mulher tiver ingerido alguma coisa.

3 comentários:

Fabiana disse...

OI QUERIDA!!TO AQUI TORCENDO POR VC! Q DEUS TE ABENÇOE MUITO NO PARTO,ESSE FINALZINHO DE GESTAÇÃO É TERRIVEL NÃO PASSA, PARECE MAIS Q A GESTAÇÃO TODA, MAS LOGO LOGO VC VAI ESTAR COM SEU ANJINHO NOS BRAÇOS! FICA COM DEUS E DEPOIS VENHA NOS CONTAR COMO FOI E COMO É SEU PRINCIPE! BJOS

Dri Viaro disse...

Oi, passando pra conhecer seu blog, bjs boa semana
aguardo sua visita :)

tia ionca @---;--- disse...

Seu blog tem muito AMOR ...e seu Filhinho é com certeza seu Anjinho pra toda vida !!!! bjs

Related Posts with Thumbnails

Sobre você e eu

Minha foto
Suely Lins
Pernambuco, Brazil
Eu sou a mamãe do Victor, ele é meu grande amor, um sonho realizado, um amor pra vida toda, conheci o amor mais sublime quando você nasceu. Uma menina que tinha um grande sonho de ser mãe, hoje uma mulher realizada, que tem seus altos e baixos, como todo ser humano, mas que quer ser feliz, como mãe, mulher e profissional, não é tarefa fácil, mas estou aprendendo a cada dia, sei tudo sobre bebês ( na teoria) na prática faz alguns meses que estou tendo aulas, o professor? Um filhote lindo, expert em fazer a mamãe feliz, phd em sorrisos lindos e travessuras...nessa escola da vida, serei sempre aluna!
Visualizar meu perfil completo
 

Meu Anjinho Design by Insight © 2009